Sinopse


Edição da Autora

Marília Laurentino de Souza Betencourt


"Do Ato ao Gesto Gráfico" é um livro que foi lançado no X Congresso Brasileiro de Psicomotricidade, em setembro de 2007, na cidade de Fortaleza. A autora o dedica a todas as crianças que, por carência de respeito enquanto cidadãos, não são encaminhados ao universo cognitivo, afetivo e social, crescendo sem oportunidades para desenvolverem todo o seu potencial, desqualificando-se enquanto um SER que pensa, se relaciona e deseja.

No Prefácio, Regina Morizot conclui dizendo que é um livro, cujo objetivo principal é a demonstração da prática, reforçando a importância da atividade lúdica, do corpo e do movimento, associados aos processos de evolução do grafismo ou das alterações específicas do ato gráfico. Acredita que esta abordagem, seja de grande utilidade, na educação ou na clínica, caracterizada, sobretudo por uma visão inovadora.

O objetivo principal da autora é trabalhar com a estrutura cognitiva do indivíduo, internalizando aquisições subjetivas, através do que podemos chamar de atos gráficos para linhas, traços, pontos e figuras geométricas ou não, constatando que cada criança pode se tornar livre para alcançar sua expressão gráfica. E a partir daí, conquistar sua autonomia gestual gráfica, criando, reproduzindo e lendo, o seu e o do outro, e logo depois, começando também a perpetuar a sua singularidade gráfica.

Destaca que quando afirma que o objetivo deste trabalho é levar o indivíduo à aquisição da Lecto-Escritura, não está falando da construção da escrita e da leitura propriamente dita, mas, na internalização de aquisições subjetivas que viabilizem essa construção de forma eficaz, através do lúdico e do prazer de fazer. O prazer de entrar no jogo e brincar.

Além de dissertar sobre a Teoria do Conhecimento, tanto do ponto de vista cognitivo como do psicomotor, a autora apresenta a construção de um piso quadriculado e sugere atividades psicomotoras, cinestésicas e gráficas.

Vale acrescentar, que se trata de um trabalho que visa despertar a subjetividade cognitiva nos indivíduos a serem alfabetizados. Não só para as crianças, como também para os adultos.

A autora, atendendo demanda da Secretaria do Estado de Educação, coordenou oficinas em 2007 e 2008, tanto para formandos do Curso Normal como para Coordenadores de Escolas de diversos municípios da cidade do Rio de Janeiro. Agora, através destas oficinas, atende escolas da rede particular e profissionais cujo objetivo é vivenciar uma prática, com atividades relacionadas ao trabalho do livro, para terem, também, o prazer de experimentar o aprender através do lúdico.

Contato: (21) 2529-6143
Email: contato@atoegestografico.com.br


Desenvolvido por: Personal Site